Ataque contra Judiciário deixa 11 mortos no Paquistão

Homens armados com granadas e coletes suicidas realizaram um ataque a um complexo judiciário no coração da capital do Paquistão nesta segunda-feira, matando 11 pessoas e deixando 25 feridas, informaram autoridades e testemunhas.

Agência Estado

03 de março de 2014 | 10h00

O atentado, que aconteceu apenas dois dias depois de o Taleban paquistanês ter anunciado um cessar-fogo em resposta à oferta do governo de conversações de paz, foi o mais violento em Islamabad desde 2008, quando houve um ataque contra o hotel Marriott, também na capital paquistanesa, que deixou dezenas de mortos.

"A contagem oficial de vítimas é 36, das quais 11 morreram e 25 ficaram feridas", disse Ayesha Esani, porta-voz do Instituto de Ciências Médicas do Paquistão. "Alguns dos feridos estão em estado grave e estão em cuidados intensivos ou em salas de cirurgia", disse ela.

Dentre os mortos está Rafaqat Awan, juiz do tribunal. A polícia informou que um de seus oficiais também morreu no ataque. Juntamente com os 11 mortos, dois dos participantes do ataque detonaram explosivos que levavam junto ao corpo, enquanto o demais parecem ter escapado. Até a tarde desde segunda-feira (horário local), ainda não estava claro quantas pessoas haviam participado do ataque.

O ataque teve início por volta das 9h (horário local), um horário movimentado para os tribunais. Os homens abriram caminho pelo labirinto de vielas e pequenos escritórios e tribunais que compõem os tribunais inferiores, atirando contra advogados.

Testemunhas disseram ter ouvido várias explosões, aparentemente das granadas, antes das duas grandes explosões dos coletes dos suicidas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoataqueJudiciário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.