Ataque contra mesquita deixa 40 mortos no Paquistão

A explosão de uma bomba numa região tribal do Paquistão, onde centenas de pessoas se reuniam para orações nesta sexta-feira, matou pelo menos 40 pessoas e deixou 85 feridas. Este foi o maior ataque registrado no país durante o mês sagrado do Ramadã.

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2011 | 09h13

O ataque aconteceu apesar do período de relativa calma no Paquistão, que sofreu numerosos ataques de insurgentes ligados ao Taleban nos últimos anos. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pela ação, mas o Taleban e outros militantes islamitas já atacaram mesquitas antes.

A bomba explodiu em Ghundi, vila da região tribal do Passo do Khyber, parte do cinturão tribal paquistanês. O Khyber é uma antiga base de militantes islamitas e o Exército paquistanês tem realizado várias operações com o objetivo de pacificar a região, mas obteve sucesso apenas limitado.

O Khyber também é uma região importante para os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), por ser via de transporte de materiais não-letais enviados para as forças norte-americanas no Afeganistão.

Cerca de 300 pessoas estavam reunidas para as orações na tarde de sexta-feira na mesquita sunita. Muitos estavam de saída quando a bomba explodiu, disse o administrador local Iqbal Khan. Segundo autoridades, há indícios de que a explosão foi resultado de um ataque suicida.

Imagens de televisão mostram o prédio seriamente danificado. Sapatos, gorros e tapetes de oração estavam espalhados pelo chão, manchado de sangue. Ventiladores de teto ficaram retorcidos e as pareces enegrecidas pela explosão. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.