Ataque contra ministério mata 7 e fere 39 no Iraque

Um atentado suicida matou ontem 7 pessoas e feriu 39 em um posto de controle perto do Ministério do Interior do Iraque, em Bagdá. Foi o segundo episódio de violência no país desde que o ministério, controlado pelo grupo político do premiê xiita Nuri al-Maliki, acusou na semana passada o vice-presidente sunita, Tariq al-Hashimi, de comandar um esquadrão da morte que teria agido contra xiitas.

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2011 | 03h06

A explosão ocorreu por volta das 7h30, quando o motorista do carro, carregado com explosivos, o acelerou contra a entrada do complexo, que inclui, além do ministério, uma academia de polícia, um hospital e uma prisão. Guardas dispararam contra o veículo e o terrorista detonou os explosivos. Entre os mortos estão três civis.

Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque. Na semana passada, atentados coordenados em Bagdá mataram mais de 70 pessoas e as autoridades disseram que somente a Al-Qaeda iraquiana, integrada por sunitas, teria tal capacidade de planejamento.

Crise. Ainda ontem, o grupo político do clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr, que faz parte da coalizão de Maliki, defendeu a dissolução do Parlamento e a convocação de novas eleições. Hoje, o grupo sunita secular do ex-premiê Ilad Alawi. faz parte da coalizão, mas a crise aberta pelo processo contra Hashemi o distanciou do grupo xiita. "Os políticos não conseguem achar uma solução para os problemas que ameaçam o Iraque, disse o líder do bloco sadrista Bahaa al-Aaraji. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.