Reuters
Reuters

Ataque contra TV pró-Governo deixa sete mortos na Síria

Autores do atentado colocaram artefatos explosivos nas instalações da 'Al Ikhbariya'

27 de junho de 2012 | 14h28

DAMASCO - Pelo menos sete pessoas - entre elas três jornalistas - morreram nesta quarta-feira no ataque de "um grupo armado" à sede da rede de televisão pró-Governo "Al Ikhbariya", nas cercanias de Damasco, informou a agência de notícias oficial síria "Sana".

Veja também:

linkGoverno sírio abandona reunião da ONU para apresentação de relatório

linkRelatório da ONU alerta para guerra civil na Síria

link'Não há plano que aguente sem apoio de potências', diz Paulo Sérgio Pinheiro

Além dos três jornalistas, quatro seguranças também morreram, enquanto há sete pessoas sequestradas e nove feridas pelo assalto, que começou às 4h30 locais (22h30 de Brasília), contra as instalações da emissora na zona de Drousha, 15 quilômetros a oeste de Damasco.

Segundo a agência, os atacantes colocaram artefatos explosivos nas instalações da "Al Ikhbariya" "após saquear e destruir os estúdios do canal por satélite".

A televisão oficial síria mostrou imagens do local, nas quais era possível ver a sede do canal destruída pelas explosões. Alguns muros que ficaram de pé apresentavam marcas de tiros.

O ministro da Informação sírio, Omran al Zubi, qualificou o ataque como "o pior massacre contra a imprensa e a liberdade de expressão por executar jornalistas sírios a sangue frio e destruir com brutalidade o edifício da televisão 'Al Ikhbariya'".

"Atribuímos à União Europeia, aos árabes e às organizações internacionais a responsabilidade por esse massacre", disse Zubi, depois de assegurar que "o massacre não ficará impune".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.