Bloomberg photo / Glen Carey
Bloomberg photo / Glen Carey

Ataque da coalizão mata 38 rebeldes iemenitas, segundo mídia saudita

Veículos de imprensa iemenitas dependentes dos houthis relataram o ataque à sede ministerial, mas não deram número de vítimas, assim como não ofereceram mais detalhes

O Estado de S.Paulo

28 Abril 2018 | 09h26

CAIRO - Pelo menos 38 integrantes das forças de segurança dos rebeldes houthis do Iêmen morreram na noite de sexta-feira, 27, em um bombardeio da coalizão árabe, liderada pela Arábia Saudita, no prédio do Ministério do Interior na capital, Sana, segundo a rede de televisão saudita "Al Arabiya".

O ataque teve como alvo uma reunião dos houthis no Ministério para organizar o funeral de Saleh Ali al-Sammad - presidente do Conselho Supremo Político, o principal órgão executivo dos rebeldes -, que morreu no último dia 19 em um bombardeio na província de Al Hudeida, disse a emissora.

+++ Bombardeio contra festa de casamento deixa 20 mortos no Iêmen

Por sua parte, vários veículos de imprensa iemenitas dependentes dos houthis relataram o ataque à sede ministerial, mas não deram número de vítimas, assim como não ofereceram mais detalhes.

A rede de televisão saudita estima que o vice-ministro do Interior do governo rebelde, Abdelhakim al Jiuani, apelidado de Abu Karar, estava entre as pessoas na sede ministerial.

Já a emissora de TV saudita "Al Ejbaria" elevou para 50 número de mortos.

+++ Para encerrar a guerra no Iêmen

De acordo com a "Al Arabiya", que cita testemunhas, vários bombardeios impactaram no edifício do Ministério, quartel de Najda e a base aérea Al Dilmi.

Estes ataques ocorreram na véspera do funeral oficial pela morte de Al-Sammad, que os houthis querem transformar em uma grande concentração de protesto contra a intervenção da coalizão árabe na guerra civil iemenita. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.