Ataque da Força Aérea iraquiana mata 25 radicais sunitas em Ramadi

Insurgentes ligados à rede terrorista Al-Qaeda lutam por controle das principais cidades da Província de Anbar

O Estado de S.Paulo,

07 de janeiro de 2014 | 21h10

BAGDÁ - O governo iraquiano afirmou nesta terça-feira,7, que matou 25 combatentes ligados à Al-Qaeda em um ataque aéreo em Ramadi, 110 quilômetros a oeste de Bagdá. Batalhas entre as forças oficiais e os sunitas radicais continuaram na Província de Anbar.

Um ataque contra os insurgentes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL, na sigla em inglês) foi suspenso em Faluja porque as autoridades esperavam que os civis expulsassem os radicais.

Militantes leais à rede terrorista internacional aliados a sunitas das tribos de Faluja tomaram esta cidade, um dos principais redutos do sunismo no Iraque, no fim de semana. Tanques e peças de artilharia das forças oficiais foram posicionados em torno da localidade nesta terça.

Partes de Ramadi, capital de Anbar, também foram tomadas pelos radicais – mas líderes tribais e seus homens auxiliam a polícia na luta contra os insurgentes na cidade.

Apesar das desavenças com o governo central xiita, tribos de Ramadi renovaram um pacto que mantinham com comandantes do Exército, de combater militantes ligados à Al-Qaeda.

Segundo o Ministério da Defesa iraquiano, a Força Aérea fez um ataque com mísseis em Ramadi, tendo como alvo veículos com armamento pesado. / REUTERS

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
IraquesunitasAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.