Ataque da Otan mata 30 integrantes do Talebã

Forças lideradas pela organização afirmaram que militantes tentaram invadir posto avançado.

BBC Brasil, BBC

30 de outubro de 2010 | 12h21

Paktika é uma região árida, pobre e volátil

A Otan (aliança militar ocidental) informou neste sábado que suas forças mataram pelo menos 30 integrantes do Talebã no Afeganistão.

Os militantes tentaram atacar um posto avançado de combate em uma base na província de Paktika, na fronteira com o Paquistão, vindos de todas as direções durante a noite, usando rifles e foguetes.

Cinco soldados da coalizão ficaram feridos no combate. O confronto teria sido tão violento que os soldados presentes na base tiveram que convocar um ataque aéreo para repelir o ataque dos insurgentes.

De acordo com o correspondente da BBC em Cabul, capital afegã, Quentin Sommerville, os postos avançados de combate geralmente são pequenos, bases em áreas remotas que frequentemente são alvos de ataques bem planejados de insurgentes, com o uso de foguetes e morteiros.

Sommerville acrescenta que muitos comandantes destes postos avançados afirmam que grande parte dos insurgentes na área vem principalmente do outro lado da fronteira, no Paquistão.

Terreno árido

Uma declaração da Isaf (as forças de segurança da Otan) informou que nenhum de seus soldados foi morto. A maioria dos soldados na região é dos Estados Unidos.

A região de fronteira, onde fica o posto avançado atacado durante a noite pelos insurgentes, é um local que serve de esconderijo para extremistas islâmicos, mas tem sido atacado frequentemente por aeronaves não tripuladas das forças de coalizão.

O correspondente da BBC afirma que a região de Paktika é árida, montanhosa, pobre e instável, na qual a influência do Talebã é forte.

Os confrontos entre várias tribos são comuns, frequentemente resultado de disputas por terras, água e madeira.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
gorbachevotanafeganistaoguerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.