Ataque da Otan mata 76 civis, denuncia governo

Pelo menos 76 civis morreram num bombardeio das forças de coalizão lideradas pelos EUA na província de Herat, no Afeganistão, segundo o Ministério do Interior afegão. O ministério diz que a maioria das vítimas é de mulheres e crianças. As forças da coalizão confirmaram ter realizado uma operação nessa província, mas negaram que civis tenham morrido. "Segundo as informações que recebi, cinco insurgentes foram presos e 30 morreram", disse o tenente Nathan Perry, porta-voz da coalizão. De acordo com o coronel americano Patrick Ryder, alguns civis ficaram feridos no combate, mas foram rapidamente atendidos no local e depois encaminhados para um centro médico da coalizão. A Casa Branca reagiu com ceticismo às acusações do governo afegão. "Os EUA e a Otan tomam muitas precauções para evitar perdas de vidas de civis", afirmou o porta-voz do governo americano, Gordon Johndroe. "Os taleban e os grupos extremistas muitas vezes fogem rapidamente (da zona que atacaram) e os atos violentos que eles cometem são atribuídos aos EUA e a nossos aliados", afirmou o presidente americano, George W. Bush, em sua fazenda no Texas.No comunicado, o Ministério do Interior afegão diz que sente muito o "acidente involuntário" e enviou uma delegação de dez pessoas à zona afetada. Segundo a nota, várias pessoas ficaram feridas, algumas em estado crítico. Nos primeiros quatro meses de 2008, pelo menos 200 civis afegãos morreram em ações das forças internacionais, segundo o relator especial da ONU, Philip Alston.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.