Ataque da Otan mata três soldados paquistaneses perto da fronteira afegã

Aliança alega legítima 'defesa'; Paquistão bloqueia suprimentos em represália

Efe e Associated Press

30 de setembro de 2010 | 11h21

ISLAMABAD - Três soldados da divisão de proteção de fronteiras do Paquistão morreram nesta quinta-feira, 30, em um ataque realizado por helicópteros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em uma zona tribal fronteiriça com o Afeganistão, informaram fontes oficiais paquistanesas à imprensa local.

 

Veja também:

linkPaquistão bloqueia suprimentos da Otan

 

O ataque aconteceu na região de Mand-to-Kandao, na demarcação tribal paquistanesa de Kurram. Além das três mortes, outros três membros do corpo de segurança ficaram feridos, segundo essas fontes, citadas pelos canais televisivos Geo e Dawn.

 

Várias testemunhas asseguraram à imprensa que, depois do ataque, os helicópteros retornaram ao Afeganistão, onde há atualmente cerca de 150 mil soldados da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf).

 

Este é o terceiro ataque de helicópteros da Isaf em território do Paquistão em uma semana. O governo paquistanês protestou no último dia 27 de setembro pelas duas primeiras incursões, que causaram mais de 30 mortes. Este tipo de ataques com helicópteros em território paquistanês são incomuns, mas são frequentes os bombardeios de aviões espiões dos EUA.

 

O governo paquistanês também rejeita em público os ataques dos aviões não tripulados, embora fontes oficiais dos EUA e Paquistão consultadas pela agência Efe reconheceram que os serviços de inteligência dos dois países cooperam para que eles sejam realizados.

 

'Legítima defesa'

 

A Otan, por sua vez, disse em Cabul que entrou no território paquistanês para "se defender" de disparos inimigos. Por meio de comunicado, a aliança afirmou ter disparado antes contra insurgentes que atiravam morteiros contra as bases próximas da fronteira e que tais rebeldes estavam em território afegão.

 

Um dos helicópteros, diz o comunicado, "entrou brevemente" no espaço aéreo do Paquistão para agir contra insurgentes depois de as aeronaves sofrerem disparos de "armas leves provenientes de indivíduos localizados no lado paquistanês". "Em estado de legítima defesa, o aparato da Isaf entrou no espaço aéreo paquistanês e matou vários insurgentes armados", diz o texto.

 

Em resposta, as autoridades paquistanesas fecharam uma importante rota de acesso às bases da Otan perto da fronteira com o Afeganistão e interromperam o fornecimento de suprimentos às tropas da aliança.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoOtanbombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.