Ataque das Farc deixa 2 fuzileiros navais mortos na Colômbia

Segundo a Força Naval do Sul, as cargas são colocadas nas margens dos rios por terroristas, que esperam militares para ativá-las

Efe,

15 de fevereiro de 2011 | 03h31

BOGOTÁ - As autoridades colombianas encontraram os corpos de dois fuzileiros navais depois de as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) explodirem um dispositivo nas margens do rio Putumayo, o que deixou ainda outros quatro militares feridos e três desaparecidos, informaram fontes oficiais nesta segunda-feira, 14.

 

Um boletim da Marinha indica que os corpos dos dois fuzileiros, um com nove anos de instituição e outro com cinco meses, foram encontrados nas cercanias da localidade de Piñuña Negro, no município de Puerto Leguízamo, no estado de Putumayo.

 

Dois dos quatro militares feridos foram transferidos para o Hospital Militar Central, em Bogotá, enquanto os outros dois se recuperam no Hospital de Puerto Asís.

 

"As cargas são dispostas habitualmente nas margens dos rios da região por terroristas da frente 48 das Farc, que esperam as unidades militares para ativá-las", disseram fontes do comando da Força Naval do Sul.

 

O comando da Marinha considerou que essa ação "representa uma grave violação aos princípios do Direito Internacional Humanitário, os direitos humanos e a Convenção de Ottawa" pelo uso de minas antipessoais proibidas.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbia, Farc, ataque terrorista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.