Ataque das Farc mata dois militares e dois civis na Colômbia

Pelo menos dois militares e dois civis morreram e sete pessoas ficaram feridas em um atentado terrorista cometido pelas guerrilhas das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no domingo, no sudoeste do país, informaram nesta segunda-feira fontes militares.Os membros de uma patrulha do Exército foram atacados por militantes quando vigiavam uma área para que técnicos consertassem uma torre do sistema elétrico, dinamitada horas antes.A tentativa das Farc de derrubar a torre do sistema elétrico na aldeia de Caña Dulce, no município de Piendamó - que faz limite com Morales -, fracassou, pois só provocou danos em uma das bases.O ataque contra uma patrulha do Batalhão de Infantaria "José Hilario López" ocorreu na aldeia Los Uvos, no município de Morales, a 580 quilômetros de Bogotá.O atentado aconteceu perto da escola rural de Los Uvos, enquanto membros do Exército passavam pelo local onde tinham sido colocados os explosivos.Os feridos são cinco soldados e dois civis, que foram levados para centros de atendimento médico nas cidades de Popayán e Cali, esta última capital do departamento (estado) de Valle el Cauca.No momento das explosões, estudantes, pais e professores estavam reunidos na escola, informou o comandante da 29º Brigada do Exército, coronel Juan Pablo Amaya.Em Buenaventura, o mais importante porto do país sobre o Pacífico, não há eletricidade desde a última sexta-feira, depois de vários atentados das Farc às redes de transmissão.A interrupção da energia elétrica levou as autoridades do porto a decretar o toque de recolher, proibir a venda de bebidas alcoólicas e porte de armas por civis. Espera-se que o serviço seja restabelecido hoje e situação volte ao normal.A costa colombiana do Pacífico se transformou em uma região importante para as Farc e organizações de traficantes, para o transporte de drogas e matérias-primas usadas na produção de cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.