'Ataque das Farc' mata sete militares, diz governo colombiano

Presidente Álvaro Uribe condenou ação que deixou quatro feridos no sudoeste do país.

BBC Brasil, BBC

10 de maio de 2009 | 17h21

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, disse neste domingo que sete militares colombianos foram mortos e quatro ficaram feridos em um ataque atribuído ao grupo rebelde Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Segundo Uribe, os soldados foram vítimas de uma emboscada perto do município de Samaniego, no departamento de Nariño, no sudoeste do país.

"O general Freddy Padilla de León (comandante das Forças Militares da Colômbia) me disse que os feridos estão fora de perigo", disse Uribe, segundo a assessoria de imprensa do governo da Colômbia.

No sábado, outro ataque na mesma região, também realizado por supostos membros das Farc, já havia deixado dois soldados mortos.

Reféns

De acordo com analistas, esses ataques podem servir de lembrança ao governo colombiano de que as Farc ainda têm força no país.

Em entrevista na cidade de Medellín, Uribe disse que o ataque de domingo foi "covarde" e que o grupo rebelde tenta propor ao país "uma chantagem política" para libertar reféns.

As Farc dizem ter em seu poder 20 militares e policiais, que pretendem trocar por cerca de 500 guerrilheiros presos.

O governo, porém, diz que há mais de 60 pessoas em poder do grupo rebelde e que foram sequestradas "por razões econômicas". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
colômbiauribefarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.