Ataque de drones dos EUA mata líder de milícia na Somália

Operação americana foi confirmada pelo Pentágono e teve como alvo integrantes do grupo radical islâmico Al Shabab

O Estado de S. Paulo

02 de setembro de 2014 | 10h17

NAIRÓBI - Uma operação dos EUA usando drones matou seis integrantes da milícia radical islâmica Al Shabab na Somália. O porta-voz da milícia Abu Mohammed afirmou que o líder militante Mukhtar Abu Zubeyr, conhecido como Ahmed Abdi Godane foi morto.

Godane estava em um dos dois carros atingidos pelos ataques, mas o porta-voz não especificou se ele era um dos seis militantes mortos ou a sétima vítima.

O ataque ocorreu em uma cidade entre Sablaale e Dhay Tubaako, a cerca de 190 quilômetros ao sul da capital somali, Mogadíscio na noite de segunda, segundo o governador de Baixa Shabelle, Abdukadir Nour Sidi. "O drone lançou vários ataques contra o lugar onde dirigentes da Al Shabab e seus seguidores realizavam uma reunião secreta."

A operação foi confirmada nesta terça-feira, 2, pelo Pentágono, que não deu detalhes das circunstâncias nem do local do ataque.

A milícia Al Shabab, que em fevereiro de 2012 se uniu à rede terrorista Al-Qaeda a fim de instaurar um Estado islâmico radical na Somália, foi incluída em março de 2008 na lista de organizações consideradas terroristas pelo governo americano. 

O grupo fundamentalista ganhou grande notoriedade internacional em setembro do ano passado, quando assumiu a autoria de um ataque a um shopping de Nairóbi que deixou 67 mortos e controla atualmente amplas regiões do sul e do centro do país.

A Somália vive em um estado de guerra civil desde 1991, quando foi derrubado o ditador Mohammed Siad Barre, o que deixou o país sem governo efetivo e nas mãos de milícias islamitas, senhores da guerra tribais e grupos de delinquentes armados. / AP e EFE

Mais conteúdo sobre:
SomáliaEUAdronesAl Shabab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.