Ataque de foguetes americanos perto de hospital de Bagdá fere 20

As forças dos EUA dispararam foguetescontra um alvo próximo a um hospital importante de Bagdá nosábado, deixando 20 feridos e danificando várias ambulâncias,disse o administrador do hospital. Nenhum paciente foi ferido no hospital em Sadr City, redutodo clérigo antiamericano Moqtada al Sadr, mas 20 pessoas nolocal das explosões foram feridas, disse o administrador dohospital Al Sadr, Wi'am al Jawahiri. Jawahiri disse que janelas do hospital se quebraram quandotrês mísseis atingiram o local descrito pelas forças americanascomo um centro "de comando e controle" dos militantes, porvolta das 10h. "Embora acredite que o alvo não tenha sido o hospital,poderíamos ter sido avisados de antemão", disse Jawahiri àReuters. "Então poderíamos ao menos ter tomado algumasprecauções." As forças americanas disseram que munições guiadas comprecisão foram usadas para destruir a instalação de militantesem Sadr City, onde forças dos EUA e iraquianas vêm há váriassemanas combatendo militantes xiitas fiéis a Al Sadr, comoparte de uma grande campanha de repressão às milícias travadapelo governo. As armas usadas podem ter sido foguetes disparados em terraou desde helicópteros. O coronel Jerry O'Hara, porta-voz militar dos EUA em Bagdá,disse que a operação foi cronometrada e teve como alvo umcentro de "comando e controle" que teria sido usado paraplanejar ataques contra a população iraquiana, além das forçasde segurança iraquianas e dos EUA. "Tomamos muito cuidado para prevenir danos colaterais evamos continuar a fazê-lo. Não alvejamos civis, e lamentamosquaisquer baixas", disse O'Hara. Indagado por que um ataque de mísseis foi lançado tão pertodo hospital no meio da manhã, ele respondeu: "A verdadeira pergunta deveria ser por que esses elementoscriminosos sempre põem a população iraquiana em risco, usandopara coordenar seus ataques instalações situadas tão perto delocais públicos. " O porta-voz disse ainda que está sendo feita uma avaliaçãodos danos provocados. Imagens feitas pela Reuters Television mostraram umaconstrução destruída a pouca distância do hospital, que é umdos dois principais centros de atendimento médico na favelaxiita de Sadr City, que tem 2 milhões de habitantes. Vários carros civis e ambulâncias ficaram seriamentedanificados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.