Ataque de forças oficiais mata 30 civis em Donetsk, dizem separatistas

Chefe das milícias no leste ucraniano afirma que bombardeios do Exército não provocaram baixas ou danos entre rebeldes

O Estado de S. Paulo

12 de julho de 2014 | 12h40

MOSCOU - Separatistas pró-Rússia afirmaram neste sábado, 12, que os bombardeios de aviões ucranianos contra um subúrbio de Donetsk, no leste, teriam matado 30 civis. Kiev havia anunciado mais cedo uma operação em um "amplo fronte" em resposta ao ataque com míssil contra as forças ucranianas, na sexta-feira, que deixou 23 soldados mortos.

Segundo o chefe das milícias separatistas no leste ucraniano, Ígo Strelkov, o número de vítimas pode aumentar. "Os escombros ainda não foram totalmente removidos. Por isso, (o número de vítimas) pode aumentar", disse, segundo a agência russa Interfax. Ele afirmou, porém, que as milícias não sofreram danos ou baixas.

Os separatistas disseram que as forças do governo "castigaram" durante a madrugada com fogo de artilharia e foguetes a localidade de Marinka, no subúrbio de Donetsk, cidade de quase 1 milhão de habitantes e uma das principais no leste, capital da província homônima.

Desde sexta-feira, milhares de moradores de Donetsk começaram a abandonar esse que é o principal bastião dos separatistas pró-Rússia diante do temor de um ataque iminente das forças ucranianas. Neste sábado, o chefe de governo da autoproclamada República Popular de Donetsk, Alexandr Borodái, afirmou que a população de Marinka e de outros bairros estavam sendo retirados. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.