Ataque de guerrilha a ônibus mata oito em Mianmar

Segundo informações iniciais, vítimas tinham entre 5 e 80 anos de idade

Efe,

20 de dezembro de 2007 | 04h12

Pelo menos oito pessoas morreram e seis ficaram feridas quando supostos guerrilheiros da etnia karen atacaram um ônibus que passava por uma estrada do leste de Mianmar, junto à fronteira com a Tailândia, informou nesta quinta-feira, 20, a imprensa estatal. O jornal A Nova Luz de Mianmar, órgão de propaganda da Junta Militar, informou que o ataque aconteceu na quarta-feira e responsabilizou um comando da guerrilha União Nacional Karen (UNK). Antes de disparar contra o ônibus, os atacantes detonaram uma mina terrestre, para obrigar o motorista a parar. Segundo a fonte, as vítimas tinham entre 5 e 80 anos de idade. O jornal acusou a UNK de tentar, com atentados e assassinatos de inocentes, "minar a estabilidade do Estado, a paz e a tranqüilidade da comunidade". A UNK conta com cerca de 5 mil combatentes e representa cerca de 7 milhões de pessoas da tribo karen. A guerrilha luta por uma autonomia para a etnia, que a Junta Militar nega.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmaratentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.