Mohammed Saber/Efe
Mohammed Saber/Efe

Ataque de Israel mata 11 civis na Faixa de Gaza, diz Hamas

Segundo o grupo, que governa o território palestino, os mortos eram todos de uma mesma família; 4 eram crianças

Reuters,

18 de novembro de 2012 | 15h50

CIDADE DE GAZA - Pelo menos 11 civis palestinos foram mortos neste domingo, 18, em consequência de um ataque aéreo israelense contra um edifício residencial na Faixa de Gaza, disse o Hamas, que governa o território.

 

Segundo um porta-voz do Ministério do Interior em Gaza disse que um míssil lançado por Israel destruiu um prédio de três andares, causando a morte de 11 pessoas, todas civis. Médicos afirmaram que entre os mortos havia quatro mulheres e quatro crianças.

 

O Exército de Israel não emitiu qualquer comunicado a respeito. Um comunicado do Izz el-Din al-Qassam, braço armado do Hamas, disse apenas que "o massacre da família Dalu não passará sem uma punição", em referência ao ataque.

 

Israel tem dado sinais de que pode optar por uma incursão terrestre na Faixa de Gaza, ampliando a operação que já dura 5 dias. Também hoje, o sistema de defesa Domo de Ferro interceptou três mísseis lançados a partir de Gaza na direção de Tel-Aviv. Uma pessoa ficou ferida em consequência dos escombros produzidos com a destruição de um dos mísseis.

 

Reação

 

Apesar de ter dito que Israel tem o direito de se defender, o presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que seria "preferível" evitar uma escalada militar na Faixa de Gaza. Segundo ele, uma incursão terrestre poderia causar mais vítimas e provocar condenações da comunidade internacional.

 

O premiê israelense, Binyamin Netanyahu, disse mais cedo que garantiu a líderes de outros países, com quem teria conversado por telefone, que Israel estava fazendo o possível para evitar mais mortes de civis nos ataques contra o Hamas, grupo que o Estado judeu acusa de terrorismo e que assumiu a responsabilidade pelo lançamento de dezenas de mísseis contra o sul de Israel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.