Ataque de manifestantes ao líder interino do Mali ameaça acordo

Partidários do Exército invadem o palácio presidencial e agridem Traore, um dia após pacto com junta ser alcançado

DACAR, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2012 | 03h09

O presidente interino do Mali, Dioncounda Traore, foi atacado por manifestantes furiosos que invadiram o palácio presidencial na segunda-feira e bateram na cabeça dele até fazê-lo desmaiar.

Traore foi liberado do hospital ainda no mesmo dia. O ataque pôs em risco um frágil acordo estabelecido no fim de semana no qual os líderes regionais depositavam a esperança do fim de dois meses de caos político no país da África Ocidental.

Traore, de 70 anos, líder político veterano, foi presidente do Parlamento antes de ser nomeado chefe de Estado interino após o golpe militar de 22 de março, que derrubou o líder eleito e pôs fim a 21 anos de democracia.

Mas a escolha dele ainda é controvertida, como mostrou o ataque a seu gabinete. Os seguranças de Traore aparentemente foram sobrepujados pelas centenas de manifestantes favoráveis ao Exército, que marcharam por quilômetros na capital, Bamako, sem serem importunados pelas Forças Armadas.

O espancamento representa um mau presságio para o acordo que os negociadores do grupo Ecowas, que reúne países da África Ocidental, tinham estabelecido no fim de semana com o líder da junta, o capitão Amadou Sanogo. Segundo os termos do acordo, Traore continuaria como presidente interino por um ano. Na sexta-feira, o Parlamento aprovou anistia para os líderes do golpe. / THE NEW YORK TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.