Ataque de rebeldes deixa nove mortos nas Filipinas

Homens suspeitos de serem comunistas insurgentes interceptaram um caminhão que transportava policiais de um vilarejo em um ataque que deixou nove mortos e pelos menos seis feridos na região central das Filipinas neste domingo, informou uma autoridade. Os policiais voltavam de um festival na ilha central de Negros, onde realizaram a segurança do evento. No caminho, 30 homens fortemente armados abriram fogo na direção do caminhão, disse o delegado Rico Santotome.

EQUIPE AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 15h41

Entre os mortos estão um policial, seis guardas, a mulher de um dos guardas e o motorista do caminhão.

A polícia suspeita que o grupo comunista New People''s Army esteja por trás do ataque, ocorrido na região montanhosa de La Catellana. O governo esperava retomar conversas de paz com os insurgentes, declarando até mesmo um cessar-fogo durante o Natal com os guerrilheiros, mas nas últimas semanas os ataques têm sido mais frequentes.

Os grupos rebeldes interromperam as conversas de paz em novembro de 2011 após o governo rejeitar suas exigências para libertar colegas da prisão. Os rebeldes participam de uma rebelião armada para tomar o poder desde 1969 e mais de 30 mil pessoas já morreram nos conflitos, segundo o governo, que estima que o grupo tenha atualmente 4 mil rebeldes, menos do que o pico de 26 mil visto na década de 1980. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasataquerebeldes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.