Ataque de rebeldes mata 3 soldados e fere 4 na Turquia

Exército turco junta milhares de soldados na zona fronteiriça com Iraque

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

A explosão de uma mina matou três soldados turcos e feriu quatro. O explosivo foi supostamente ativado à distância por rebeldes do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), na província de Sirnak, no sudeste da Turquia. Segundo a agência Anadoulu, a mina foi colocada no quilômetro 10 da estrada de Guclukonak e foi ativada na noite de sábado quando um comboio militar passava pelo local. Depois da explosão o Exército turco enviou um grande número de tropas ao local em busca dos rebeldes responsáveis pelo ataque. Em outro enfrentamento entre o PKK e o Exército morreu um rebelde na província de Mus, também no sudeste, enquanto outros dois guerrilheiros foram capturados com vida, informou a Anadoulu. O Exército turco publicou na quinta-feira passada um comunicado no qual insta a população civil do país a sair às ruas para se manifestar contra a nova ofensiva do PKK. Há dois meses, o Exército turco está juntando dezenas de milhares de soldados na zona fronteiriça com o Iraque para evitar que o PKK se infiltre no país. O governo iraquiano protestou no sábado pelos supostos ataques da artilharia turca em várias aldeias perto da fronteira entre os dois países. O PKK iniciou em 1984 sua luta armada por mais direitos para os cerca de 12 milhões de curdos na Turquia e mais de 35 mil pessoas morreram desde então nessa guerra não declarada contra o Exército turco. A Turquia, que está negociando sua adesão à União Européia, viveu cinco anos de tranqüilidade após a captura em 1999 do líder histórico do PKK, Abdullah Ocalan, mas novos enfrentamentos ocorreram a partir de 2004 e se intensificaram muito no último mês.

Mais conteúdo sobre:
Turquia PKK ataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.