Ataque de rebeldes sírios deixa 19 mortos

Membros da Frente Al-Nursa e outros grupos extremistas lançaram ataques simultâneos no noroeste do país

O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 15h45

Membros da Frente Al-Nursa, grupo extremista ligado a Al-Qaeda, e outras facções rebeldes sírias lançaram ataques simultâneos contra postos de controle do Exército local, a sede da polícia e o gabinete do governador, no noroeste da Síria, nesta segunda-feira, 27. O ataque provocou longas horas de confrontos que deixaram 19 soldados e rebeldes mortos.

Os ataques ocorreram todos na cidade de Idlib, controlada pelo governo sírio, de acordo com ativistas e a imprensa estatal. Os confrontos desta segunda-feira foram os mais graves desde que rebeldes sírios tomaram o controle de dezenas de vilas e cidades há mais de dois anos.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, quatro membros da Frente Al-Nursa se explodiram na cidade de Idlib. "Foi um golpe moral para o regime", disse o ativista Asad Kanjo, na cidade de Saraqeb, também na província de Idlib. Ele afirmou ainda que a calma foi restabelecida na região após o episódio.

De acordo com a rede de televisão síria pró-governo, Al-Ikhbariya, o chefe da polícia da província afirmou que tropas combateram os atacantes. "Não há um atirador na cidade agora", declarou. A TV também afirmou que os ataques foram liderados por Abu Waleed Al-Libi, morto no conflito. Segundo o Observatório, alguns membros da Frente Al-Nursa mortos no confronto eram estrangeiros. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.