Tuwaedaniya Meringing/ AFP
Tuwaedaniya Meringing/ AFP

Ataque de separatistas muçulmanos deixa pelo menos 15 mortos na Tailândia

Províncias mais ao sul do país, de maioria muçulmana, convivem com revolta separatista desde 2004

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2019 | 04h37

BANGCOC - Um ataque atribuído a separatistas muçulmanos deixou pelo menos 15 pessoas mortas na Tailândia. De acordo com um porta-voz do exército tailandês, o ataque aconteceu na noite desta terça-feira, 5, na província de Yala, no sul do país.

Este foi um dos ataques mais mortíferos da história do conflito, que abala o paía asiático há 15 anos. Os agressores abriram fogo contra dois postos de controle, revelou o porta-voz do exército Pamote Prom-in. Doze pessoas morreram no momento do ataque e outras três no hospital, disse Prom-in.

A revolta separatista explodiu em 2004 nas províncias de maioria muçulmana do sul da Tailândia, um país de população essencialmente budista.

O conflito já causou cerca de 7 mil mortos, mas os atentados estão menos frequentes desde o golpe de Estado de 2014, após o qual a junta militar reforçou o contingente na região e o toque de recolher. "Isto nos lembra que ainda estão lá", comentou Don Pathan, analista especializado no conflito. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.