Ataque deixa 58 mortos no Sudão do Sul

Uma agência de ajuda humanitária informou que as suas unidades de saúde foram atacadas no Sudão do Sul, deixando ao menos 58 mortos, alguns dos quais muitos pacientes que estavam internados.

AE, Agência Estado

01 Julho 2014 | 17h45

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) disse nesta terça-feira que os ataques contra as instalações de saúde deixaram 25 pacientes mortos, além de 27 pessoas que haviam procurado o acampamento para se esconder, dois funcionários do governo e outras quatro pessoas que não foram identificadas.

Milhares de pessoas morreram e mais de 1,3 milhão de habitantes foram forçados a fugir de suas casas desde que eclodiu o conflito entre as forças leais ao ex-vice-presidente Riek Machar e aquelas fiéis ao presidente Salva Kiir, em dezembro do ano passado. A luta entre duas facções reduziu significativamente desde último acordo de cessar-fogo, assinado em 10 de junho. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Sudão do Sul violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.