Ataque deixa dezenas de mortos em Xinjiang, diz agência estatal

Grupo armado com facas atacou prédios do governo, pessoas e carros; atentado ocorreu na segunda-feira

O Estado de S. Paulo

29 Julho 2014 | 11h32

(Atualizada às 14h23) PEQUIM - Atentados terroristas na região chinesa de Xinjiang, onde a maioria dos moradores é muçulmana, deixou dezenas de pessoas mortas e feridas, informou nesta terça-feira, 29, a agência oficial Xinhua.

Segundo a polícia local, citada pela agência, um grupo armado com facas atacou na segunda-feira 28 uma delegacia de polícia e prédios do governo na cidade de Elixku. Em seguida, a gangue seguiu para a cidade Huangdi atacando pessoas e quebrando carros. Cerca de 30 veículos foram destruídos.

"Dezenas de muçulmanos e chineses morreram ou ficaram feridos", informou a polícia. A agência Xinhua acrescentou que a polícia matou diversos integrantes do grupo armado.

Centenas de pessoas morreram em ataques que o governo chinês atribui a terroristas e em confrontos entre as autoridades e grupos separatistas que atuam na região de Xinjiang, habitada por minorias étnicas de religião muçulmana, como os uigures, e onde ficam essas cidades.

A China culpa grupos associados ao jihadismo que buscam a criação de um Turquestão Oriental Independente em Xinjiang pelos ataques, entre eles um com carros-bomba em um mercado de Urumqi, a capital regional, no dia 22 de maio que causou 39 mortes. /AP, EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
ChinaXinjiang

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.