Ataque deixou cerca de 60 feridos, diz governo espanhol

Pelo menos 38 pessoas precisaram ser atendidas em hospitais da Espanha após a explosão de um carro-bomba diante de um alojamento da polícia em Burgos, no norte do país, informou o Ministério de Interior, que divulgou ainda que, no total, cerca de 60 pessoas tiveram ferimentos. A maior parte das vítimas foi atingida por estilhaços de vidro. A polícia espanhola atribuiu o atentado ao grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade).

AE-AP, Agencia Estado

29 de julho de 2009 | 11h37

Os autores não avisaram do ataque com antecedência, motivo pelo qual as autoridades locais não tiveram tempo para esvaziar o edifício de 14 andares. Havia cerca de 120 pessoas no local no momento da explosão, ocorrida por volta das 4 horas da manhã locais. A fachada do edifício foi destruída. Crianças representam um terço dos moradores do alojamento, habitado por policiais e seus familiares.

O ETA não assumiu o ataque. Também não houve um telefonema antecipando a ação, o que costuma ser uma característica do grupo. No entanto, a polícia espanhola atribuiu o atentado ao ETA, que tem a guarda civil como alvo preferencial de seus ataques. Em 41 anos de campanha pela criação de um país basco no norte da Espanha e no sudoeste da França, o ETA é acusado de ter matado 825 pessoas. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhaexplosãocarro-bombaferidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.