Ataque do Abu Sayyaf a cooperativa deixa ao menos 3 mortos nas Filipinas

Terroristas investiram contra as vítimas por elas não pagarem propina exigida pelo grupo

Agência EFE,

21 de setembro de 2012 | 03h57

MANILA - Dois guardas voluntários e o funcionário de uma cooperativa agrícola morreram e outras seis pessoas ficaram feridas após um ataque do grupo extremista Abu Sayyaf no sul das Filipinas nesta quinta-feira, 20, afirmaram fontes militares. Os voluntários, empregados pelo governo para realizar tarefas de segurança, estavam desarmados quando foram atacados na cooperativa agrícola localizada na Ilha de Basilan.

 

Os investigadores dizem que o motivo pode ter sido a negativa dos membros da cooperativa de pagar propina para o grupo, considerado terrorista pelos Estados Unido e a União Europeia. Nesta mesma ilha, pelo menos dez soldados filipinos e nove membros da Abu Sayyaf morreram em enfrentamentos ocorridos julho, quando os terroristas atacaram uma instalação militar.

 

Fundado em 1991, em Basilan, por ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética, o Abu Sayyaf perpetrou os atentados mais sangrentos do país e realizou diversos sequestros, além de colaborar com o grupo Jemaah Islamiya, braço da Al-Qaeda no Sudeste Asiático. O Abu Sayyaf deseja estabelecer um Estado islâmico na região, dominada por sultanatos muçulmanos até a chegada dos colonizadores espanhóis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.