Ataque do exército israelense fere líder espiritual do Hamas

O líder espiritual e co-fundadordo Hamas, xeque Ahmed Yassin, foi ferido na mão neste sábado numataque de aviões F-16 da Força Aérea de Israel com mísseiscontra um apartamento em que ele estava, na cidade de Gaza.Outras 15 pessoas ficaram feridas, das quais 9 com gravidade,disseram testemunhas. Médicos do Hospital de Shifa informaramque a maioria das vítimas é formada por mulheres e crianças. Os mísseis atingiram a residência de um dos principaisassessores de Yassin, Ismail Hamieh, situada no terceiro andarde um prédio na Cidade de Gaza. Também estava no local o dr. AbuGaz, professor da Universidade Islâmica de Gaza. O filho deHamieh, Abdelsalam, disse que seu pai e o xeque estão bem. Os guarda-costas do xeque, que é cego e tetraplégico,removeram-no às pressas do edifício, porque normalmente aaviação israelense costuma lançar vários mísseis seguidos.Inicialmente não estava claro se Yassin foi atingido por acaso,por estar na casa de Hamieh, mas horas depois altos funcionáriosdo setor de segurança israelense confirmaram que o xeque e osoutros dirigentes eram o alvo. Um vizinho, Nasser Zaide, correu para a sacada de seuapartamento depois da explosão e viu Yassin ser levado do local."Um míssil entrou pelo teto e destruiu o terceiro andar", disseZaide. O padeiro Raouf Abu Khaled ajudou a socorrer os feridos."Eu estava sentado do lado de minha loja quando vi o jipe doxeque entrou na rua. Cinco minutos depois houve uma enormeexplosão." Depois do ataque, uma enorme multidão cercou o prédio e oporta-voz do Hamas, Abdel-Aziz Rantissi - que este anosobreviveu a um ataque israelense com mísseis -, prometeuvingança. "Foram abertas as portas do inferno", declarouRantissi, que não informou para onde o xeque foi levado. Yassin é o mais importante líder do Hamas atacado por Israelem três anos de intifada (levante palestino contra a ocupaçãoisraelense). Depois do atentado desfechado no dia 19 por ummilitante suicida do Hamas em Jerusalém ? matando 21 pessoas ?,o governo israelense iniciou uma ampla campanha contra o grupo eanunciou que nenhum de seus membros seria poupado. Nessa onda deataques foram mortos 12 chefes e membros do Hamas e 5 pedestres.Dezenas de palestinos, na grande maioria transeuntes e moradoresdas áreas atingidas, foram feridos, vários com gravidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.