Ataque do grupo Abu Sayyaf deixa 2 mortos no sul das Filipinas

Cerca de 30 guerrilheiros entraram na casa do chefe do povo e atiraram contra todos os presentes

EFE

24 de dezembro de 2007 | 06h10

Pelo menos duas pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas numa invasão do grupo radical islâmico Abu Sayyaf a uma aldeia da região sul das Filipinas, informaram nesta segunda-feira fontes policiais. O ataque ocorreu no sábado de manhã na ilha de Jolo, 980 quilômetros ao sul da capital. Cerca de 30 guerrilheiros entraram na casa do chefe do povo, e atiraram contra todos os presentes. Também no sábado, membros da Abu Sayyaf usaram civis como escudos humanos em outro ataque em Jolo, que matou pelo menos um militar deixou outros cinco feridos. Em 10 de julho, dez homens da Marinha das Filipinas foram decapitados e mutilados nesta mesma ilha, o que chocou o país e resultou no início da ofensiva militar contra os rebeldes muçulmanos. Desde então, dezenas de milhares de pessoas abandonaram suas casas na cidade e na vizinha Baslian. De acordo com as agências de ajuda humanitária, mais de 200 soldados, rebeldes e civis morreram nos combates. Fundado em 1991 por ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética, o Abu Sayyaf está vinculado à rede Al Qaeda e é considerado responsável por alguns dos atentados mais sangrentos dos últimos anos nas Filipinas.

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasAbu Sayyaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.