Ataque dos EUA deixa 20 mortos no Paquistão

Mísseis norte-americanos atingiram hoje um campo de treinamento de militantes no Waziristão do Norte, no Paquistão, matando 20 pessoas, segundo funcionários do setor de segurança. O local do ataque fica próximo da fronteira afegã. O campo na área de Shawal era controlado por combatentes leais ao senhor de guerra paquistanês Hafiz Gul Bahadur, cujos homens atacam no Afeganistão. "O número de mortos está em 20. Ele deve subir", disse um graduado funcionário do setor de segurança, pedindo anonimato.

AE, Agência Estado

08 de junho de 2011 | 09h20

Acredita-se que haja militantes da província do Punjab, no centro do Paquistão, e também estrangeiros entre os mortos. Funcionários locais em Miranshah, principal cidade do Waziristão do Norte, também confirmaram o ataque e as mortes. Moradores locais descreveram o campo como um centro de treinamento no topo de uma montanha cercada por árvores e gelo. Sabe-se que a rede Haqqani, ligada à Al-Qaeda, e redes de militantes estrangeiros também operam nas remotas montanhas de Shawal, cercadas por uma densa floresta.

Na segunda-feira, mísseis dos EUA mataram 18 militantes no vizinho Waziristão do Sul. Washington classifica o noroeste tribal paquistanês como a região mais perigosa do mundo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEUAmísseismortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.