Reuters
Reuters

Ataque dos EUA no Paquistão teria matado líder do Taleban

Em comunicado, o Pentágono disse o mulá Akhtar Mansour estaria no veículo atingido por um drone, mas ainda está confirmando as informações

O Estado de S. Paulo

21 Maio 2016 | 19h58

WASHINGTON -  Os Estados Unidos realizaram neste sábado um ataque aéreo no Paquistão no qual pode ter morrido o principal líder do Taleban, o mulá Akhtar Mansour, informou o Departamento de Defesa em comunicado.

"Desde que Mansour assumiu a liderança, os taleban fizeram vários ataques contra civis afegãos, forças de segurança afegãs e cidadãos americanos. Continuamos determinando os resultados do ataque e daremos mais informações quando estiverem disponíveis", afirmou o porta-voz do Pentágono, Peter Cook.


Um funcionário do governo disse à rede de TV "CNN" que Mansour "provavelmente" morreu no ataque, lançado por volta das 10 horas GMT de hoje (7h de Brasília) em uma área remota na fronteira entre Paquistão e Afeganistão, a sudoeste da cidade de Ahmad Wal, dados que o Pentágono não mencionou em sua nota.

Mansour era o alvo do ataque americano, autorizado pelo presidente Barack Obama, que também pode ter matado outro combatente que viajava com ele, segundo a fonte consultada pela "CNN".

O ataque foi realizado por um drone enquanto Mansour e seu acompanhante viajavam em um veículo, segundo fontes do Departamento de Defesa citadas pelo Wall Street Journal.

"Mansour foi o líder dos taleban e esteve ativamente envolvido em planejar ataques contra instalações em Cabul e em todo Afeganistão, apresentando uma ameaça para os civis afegãos e as forças de segurança, nosso pessoal e parceiros de coalizão", afirmou o Pentágono no comunicado.

"Mansour foi um obstáculo para a paz e a reconciliação entre o governo do Afeganistão e o Taleban, proibindo que os líderes taleban participassem de conversações de paz com o governo afegão que poderiam ter colocado um fim no conflito", acrescentou a nota.

Mulá Mansour foi nomeado líder taleban depois do anúncio da morte do mulá Mohammad Omar, em julho de 2013, ano em que o novo líder passou a comandar o grupo insurgente. 

Biografia. Em uma biografia divulgada pelo Taleban pouco depois do anúncio do nome do sucessor do mulá Omar, Mansour é retratado como um líder carismático e dotado de habilidades militares. “É considerado um líder eficaz, influente e com uma personalidade dominante entre os fundadores do Emirado Islâmico”, segundo o documento. “Conhecedor de uma complexidade e dedicado à política contemporânea regional e internacional”, continua o texto.

Manosur nasceu em 1968 na Província de Kandahar, recebeu educação religiosa na mesquita local e abandonou os estudos quando era um adolescente para se juntar à luta contra os soviéticos em 1978.

Segundo o texto, Mansour desempenhou um papel “crucial” na organização e desenvolvimento do Taleban. Ocupou os cargos de diretor do Aeroporto de Kandahar, ministro da Aviação e responsável pela Defesa Aérea. Foi nomeado adjunto de Omar e responsável por todas as operações do grupo em 2010. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.