Ataque dos EUA pode ter matado número 2 da Al-Qaeda

O Paquistão tem provas de que o número 2 no comando da Al-Qaeda estava numa casa atingida pelo ataque de um avião teleguiado na região tribal, no noroeste do país, mas não está claro se ele foi morto, informaram funcionários de inteligência nesta terça-feira.

AE, Agência Estado

05 de junho de 2012 | 09h07

Autoridades norte-americanas disseram que o alvo do ataque de a segunda-feira era Abu Yahya al-Libi. A ação foi realizada na vila de Khassu Khel, área tribal do Waziristão do Norte. As fontes norte-americanas, que falaram em condição de anonimato, disseram estar "otimistas" com a possibilidade de ele estar entre os mortos.

Militantes e moradores da região disseram a agentes paquistaneses que Al-Libi estava na casa quando ela foi atingida, afirmaram funcionários de inteligência, também em condição de anonimato.

Um veículo usado pro Al-Libi foi destruído durante o ataque, informou uma das fontes. Agentes interceptaram uma ligação telefônica de um militante que dava a entender que um árabe fora morto no ataque, mas não ficou claro se falavam sobre Al-Libi, que nasceu na Líbia.

Segundo um chefe local do Taleban, o motorista e um guarda-costas de Al-Libi foram mortos, mas o comandante da Al-Qaeda não estava no local. Al-Libi sobreviveu a um ataque anterior, disse o chefe taleban, falando em condição de anonimato, por temer ser atacado pelo Exército paquistanês.

Caso a morte de Al-Libi seja confirmada, ela será a última de uma lista de mais de uma dezena de comandantes graduados eliminados durante as ações clandestinas dos Estados Unidos contra a Al-Qaeda desde que um comando especial de fuzileiros navais matou Osama bin Laden no ano passado.

A Casa Branca mantém uma lista de alvos terroristas que devem ser mortos ou capturados. O documento é compilado por militares e pela CIA e por fim, aprovado pelo presidente. Os Estados Unidos intensificaram os ataques com aviões teleguiados no Paquistão, tendo realizado sete em menos de suas semanas.

Al-Libi assumiu o cargo de número 2 da rede quando o egípcio Ayman al-Zawahri passou a comandar a Al-Qaeda após a morte de Bin Laden. Dirigente de facto da rede terrorista, Al-Libi é responsável por coordenar as operações diárias do grupo nas áreas tribais paquistanesas e gerenciar grupos regionais ligados à rede terrorista. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
PaquistãoEUAAl-Qaedaataqie

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.