Ataque em Beirute pode ter Síria por trás, diz francês

O presidente da Síria, Bashar Assad, "provavelmente" está por trás da explosão ocorrida em Beirute na sexta-feira que matou o chefe do serviço de inteligência das Forças de Segurança Interna no Líbano, general Wissam al-Hassan, disse neste domingo o ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius.

Agência Estado

21 de outubro de 2012 | 10h41

Questionado em uma entrevista se achava que Assad está por trás do assassinato de al-Hassan, um aliado da principal coalizão política contra Assad no Líbano, Fabius respondeu: "Provavelmente. Não sabemos quem está por trás (desse atentado), mas tudo indica que é uma extensão da tragédia na Síria, o que torna a saída de Assad ainda mais necessária".

O ministro francês descreveu o presidente sírio como um "manipulador" interessado que a guerra civil na Síria se espalhe para a Turquia, Jordânia e Líbano. Também disse que militantes do partido xiita Hezbollah no Líbano estão cada vez mais presentes no conflito. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbanoatentadoFrançaSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.