Ataque em escola deixa 13 crianças mortas na Síria

Ataques de morteiros atingiram uma escola nesta quarta-feira em uma subúrbio de Damasco, deixando pelo menos 13 crianças mortas. Três morteiros atingiram a Escola Haya em Qaboun, de acordo com o ativista local Abu Akram Al Shami. Outro ativista baseado próximo a Damasco, Amar Al Hassan, também relatou o incidente, assim como Rami Abdurrahman, do Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Estadão Conteúdo

05 de novembro de 2014 | 17h37

Crianças sírias muitas vezes têm sido vítimas da guerra civil do país, agora em seu quarto ano, apesar de não serem alvos específicos. O ataque de hoje foi o episódio mais grave de violência contra menores na Síria desde um atentado suicida duplo que matou pelo menos 25 crianças em uma bairro controlado pelo governo na cidade central de Homs, em outubro.

Não ficou imediatamente claro quem disparou os ataques. Tanto as forças leais ao presidente Bashar Assad quanto os rebeldes oposicionistas usam esse tipo de arma. Ativistas disseram acreditar que as forças pró-Assad foram responsáveis porque seria improvável que rebeldes atirassem em seu próprio povo. Funcionário do governo não comentaram o assunto. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.