Ataque em ônibus da ONU na Somália deixa 10 mortos

Uma bomba explodiu um ônibus que levava funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU) no norte da Somália, na cidade de Garowe, matando cerca de 10 pessoas e ferindo dezenas, informou a polícia. O grupo extremista al-Shabab, ligado a Al-Qaeda, assumiu a responsabilidade pelo ataque.

Estadão Conteúdo

20 de abril de 2015 | 12h13

Estrangeiros e somalis foram vítimas do ataque, informou o Coronel Ali Salad, policial da região. Uma funcionária da ONU em Garowe, que pediu anonimato, pois não estava autorizada a falar com a imprensa, afirmou que a maioria das vítimas são estrangeiras e trabalham na organização. O ônibus pertencia ao Fundo das Nações Unidas para a Infância, o Unicef.

O representante da ONU na Somália, Nicholas Kay, disse em uma postagem no Twitter que está "chocado e estarrecido com a perda".

A bomba foi aparentemente plantada embaixo de um assento do ônibus e foi detonada por controle remoto, informou a polícia. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SOMÁLIAONUVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.