Ataque israelense à escola da ONU em Gaza mata ao menos 15

Local servia como abrigo para refugiados; porta-voz das Nações Unidas fala em diversos mortos e feridos

O Estado de S. Paulo

24 Julho 2014 | 10h41

FAIXA DE GAZA - Um tanque israelense atacou nesta quinta-feira, 24, um complexo onde há uma escola da ONU em Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza deixando ao menos 15 mortos, informaram autoridades palestinas de Saúde.

Segundo um porta-voz das Nações Unidas, houve diversas mortes. A escola servia como abrigo para refugiados.

O porta-voz do Ministério da Saúde palestino Ashraf al-Kidra afirmou que centenas de pessoas entraram na escola para protegerem-se do tiroteio que ocorria na região entre forças israelenses e palestinos. Pelo menos 150 pessoas ficaram feridas.

Essa é a quarta vez que uma instalação da ONU é atacada durante os confrontos em Gaza, governada pelo grupo Hamas.

O diretor do hospital Beit Hanoum, Ayman Hamdan, disse que vários centros médicos no local estão recebendo vítimas do ataque. "Tamanho massacre requer mais do que um hospital para lidar com a situação."

Laila Al-Shinbari estava no local no momento do ataque e contou para a Reuters que famílias estavam reunidas no pátio esperando para serem transferidas por um comboio da Cruz Vermelha. "Todos nós estávamos sentados em um local quando de repente quatro bombas caíram sobre nossas cabeças. Havia corpos no chão, sangue e pessoas gritando. Meu filho morreu e meus parentes estão feridos, entre eles meus outros filhos." /EFE e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Israel Gaza ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.