Ataque israelense atinge ônibus de refugiados

Aviões bombardearam um microônibus que transportava libaneses para fora de vilas fronteiriças cuja evacuação havia sido recomendada por Israel, matando três pessoas e ferindo outras 13, informam forças de segurança do Líbano. A guerrilha do Hezbollah dispararam foguetes contra o norte de Israel, matando pelo menos duas pessoas.Tropas israelenses seguem no controle de uma vila libanesa conquistada no sábado, mas não aprecem estar avançando, disseram autoridades libanesas. Mas aviões e artilharia espalham destruição pelo sul do país. O ministro da Defesa israelense, Amir Peretz, declarou que o objetivo da ofensiva é afastar o Hezbollah da fronteira.O microônibus bombardeado carregava 16 pessoas que fugiam da vila de Tairi, tentando chegar ao porto de Tiro. Um míssil atingiu o ônibus nas proximidades da vila de Yaatar. Os feridos foram levados para hospitais de Tiro. No sábado, militares israelenses tinham advertido os moradores de Tairi para fugir até as 16h00 (hora local).Pelo menos quatro outras pessoas foram mortas em ataques no sul do Líbano, informa a televisão local, mas as mortes não foram confirmadas pelas autoridades. Cerca de 45 pessoas ficaram feridas em ataques aos arredores de Tiro, de acordo com hospitais e autoridades.As mortes no microônibus eleva a 375 o número oficial de mortos confirmado por autoridades libanesas. Os mortos israelenses são 36, sendo 17 vítimas atingidas por foguetes do Hezbollah e 19 soldados mortos em combate.Fotógrafa é mortaA fotógrafa libanesa Naylal Najib, que estava trabalhando em Tiro, morreu neste domingo em conseqüência dos bombardeios israelenses contra esta cidade do sul do Líbano, de acordo com jornalistas que se encontravam na região. Naylal, de 23 anos, trabalhava como freelance para a publicação libanesa Al Yarass.Israel bombardeia ininterruptamente o Líbano desde o último dia 12, após a captura de dois de seus soldados por combatentes do Hezbollah, que desejam trocá-los por "detidos nas prisões israelenses".Matéria atualizada às 09h55 com informações sobre morte de fotógrafa libanesa

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.