Ataque israelense deixa quatro palestinos mortos em Gaza

Helicópteros israelenses lançaram neste domingo pelo menos três mísseis contra um grupo de homens armados na Faixa de Gaza, matando quatro deles, disseram testemunhas. Os mísseis caíram em momentos em que as vítimas estavam sentadas sob uma árvore em frente a uma praia da Cidade de Gaza, perto de um posto de controle das forças palestinas, acrescentaram.Simpatizantes do Hamas, que foram até o hospital para onde os quatro foram levados, identificaram dois deles como os combatentes do grupo armado Ahmed Aishtawi e Wahid Hamaf. A identidade dos outros dois não foi revelada de imediato.O chefe do exército israelense havia advertido horas antes que todo membro do Hamas era um "alvo potencial para ser liqüidado". O ataque ocorre três dias após um líder do Hamas, Abu Shanab, ser assassinado de forma semelhante durante uma incursão militar israelense. Os militares israelenses não fizeram comentários imediatos sobre o incidente.ImpassesTestemunhas disseram que foram encontradas armas no local onde as vítimas estavam sentadas.Desde horas antes, os líderes palestinos - pressionados a desmantelarem os grupos militantes após um atentado do Hamas contra um ônibus israelense na semana passada - estiveram discutindo a respeito do comando de suas forças de segurança.O último impasse entre o veterano líder palestino Yasser Arafat e seu rival, o primeiro-ministro Mahmoud Abbas, foi provocado pela recusa de Arafat em entregar para Abbas o controle sobre as forças palestinas - uma exigência feita pelos EUA. Aparentemente, Arafat considera que sua autoridade ficaria consideravelmente enfraquecida se ele entregar o controle sobre posições-chave das forças de segurança para Abbas, que controla as demais posições.Abbas e seu chefe de segurança, Mohammed Dahlan, alegam precisar controlar todos os homens em armas para enfrentar os grupos ativistas Hamas, Jihad Islâmica e dissidentes do movimento Al-Fatah, liderado por Yasser Arafat. Com o impasse do lado palestino, Israel intensificou sua caça aos militantes e enviou tanques com tropas a cidades da Cisjordânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.