Ataque israelense mata 7 palestinos em praia de Gaza

Um bombardeio israelense matou um grupo de civis que participava de um piquenique em família em uma praia de Gaza nesta sexta-feira. Sete pessoas morreram, incluindo três crianças, e mais de 30 ficaram feridas, informaram fontes médicas. Pedaços de corpos estavam espalhados pela praia. Uma tenda foi destruída e manchas de sangue eram vistas por todo o local atacado pelo navio israelense.Uma multidão rapidamente aglomerou-se na praia. Um médico do hospital que recebeu os corpos informou que sete pessoas morreram, sendo três crianças, dois adolescentes, uma mulher e um homem.Israel tem realizado ataques contra locais supostamente usados por militantes palestinos para lançar foguetes contra o território israelense. O Exército, no entanto, negou que os disparos foram efetuados por aviões ou navios de guerra, mas afirmou que a artilharia terrestre pode ter sido responsável. O Exército informou ainda que o general Dan Halutz ordenou a interrupção de disparos da artilharia na região enquanto uma investigação está sendo conduzida. "Nos arrependemos de qualquer mal causado a civis inocentes", disse o capitão Jacob Dallal, um porta-voz do Exército israelense. Ele acrescentou ainda que o governo ofereceu assistência médica aos feridos, incluindo a transferência para um hospital em Israel. O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, condenou o ataque, classificando de "massacre sangrento" e pediu uma intervenção internacional para o fim da ofensiva israelense.Outro ataqueAinda nesta sexta-feira, um bombardeio promovido por um avião militar israelense contra a Faixa de Gaza provocou a morte de três supostos militantes palestinos, informaram autoridades israelenses e palestinas.Um míssil israelense atingiu um veículo que transportava supostos militantes islâmicos que aparentemente fugiam de uma área isolada no norte de Gaza depois de terem disparado foguetes contra o norte de Israel, informaram funcionários palestinos e militares israelenses.Os mortos foram identificados como prováveis membros dos Comitês de Resistência Popular, uma coalizão rebelde composta por militantes de diversos grupos armados palestinos. O líder da organização, Jamal Abu Samhadana, foi morto na quinta-feira em um bombardeio israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.