Ataque israelense mata quatro em Gaza

Quatro palestinos pertencentes a uma mesma família morreram nas primeiras horas desta quinta-feira (horário local) quando uma bomba lançada por um tanque israelense caiu num acampamento de beduínos próximo a um assentamento judaico, disseram moradores e médicos. Outras quatro pessoas ficaram feridas, inclusive um menino de quatro anos, contaram médicos do Hospital Shifa Hospital, na Cidade de Gaza, onde ocorreram as mortes. O diretor interino do hospital, doutor Nafez Shalach, acusou as forças israelenses de atrasarem em mais de 40 minutos a chegada de ambulâncias ao local. O Exército israelense preferiu não comentar o episódio. Segundo moradores, o Exército atacou com bombas e metralhadoras disparadas a partir de tanques. Funcionários da Crescente Vermelha palestina disseram que seis bombas caíram num acampamento beduíno. Duas casas foram atingidas. Os tanques israelenses invadiram o território palestino na altura da colônia judaica de Netzarim, bloqueando uma importante rodovia, disseram moradores. Ao mesmo tempo, cinco embarcações de guerra patrulhavam o litoral, onde na quarta-feira as forças israelenses dispararam contra objetos flutuantes suspeitos de fazer parte do tráfico de armas para os palestinos. Os mortos foram identificados como Rawaida Hajien, de 50 anos, dois de seus filhos, Ashraf, de 23, e Mehad, de 17, e um sobrinho, Mohammed, de 20. Khaled, filho de quatro anos de Rawaida, está internado em estado grave. Ao chegar ao hospital, Fares Hajien, de 30 anos, viu os corpos de seus familiares e irrompeu em lágrimas. "Isto é um crime brutal", dizia. "Estas são as medidas de Israel para implementar o tal do plano Gaza", acusou.

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.