Ataque israelense mata seis militantes na Faixa de Gaza

Israel matou pelo menos seis militantespalestinos num ataque contra a Faixa de Gaza nesta quarta-feirae prometeu continuar a fazer pressão sobre os militantes noterritório controlado pelo Hamas. Médicos e o Hamas disseram que quatro dos militantespertenciam ao movimento islâmico e dois integravam os Comitêsde Resistência Popular, uma coalizão de grupos militantes. Uma porta-voz do exército israelense disse que o ataque foilançado desde o ar e a terra depois de militantes teremdisparado vários mísseis antitanque contra tropas israelensesque operavam na região. A ala armada do Hamas, Izz el-Deen al-Qassam, declarou quevai continuar a combater Israel "até a vitória ou o martírio". Em junho passado, os islâmicos do Hamas expulsaram da Faixade Gaza as forças do Fatah, do presidente palestino MahmoudAbbas, assumindo o controle no território costeiro. O Estadojudaico lança operações regulares contra a Faixa de Gaza paratentar impedir seus militantes de disparar morteiros e foguetesde curto alcance contra o sul de Israel. Israel retirou seus colonos e suas tropas da Faixa de Gazaem 2005, mas os palestinos não vêem a retirada como fim daocupação porque as autoridades israelenses ainda controlam asfronteiras do território, seu espaço aéreo e suas águascosteiras. O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, disse naquarta-feira que, apesar de os disparos de foguetescontinuarem, o exército israelense fez progresso na repressão àatividade dos militantes em Gaza, através de seus ataquesaéreos e incursões. Ele reiterou que não há uma grande incursãoprevista para o curto prazo. "Vamos acabar com os Qassam (o disparo de foguetes). Nãoestamos ansiosos por lançar uma grande operação, mas nãoseremos dissuadidos de fazê-lo se e quando isso se tornarnecessário", disse Barak à rádio Israel. Em novembro, Mahmoud Abbas, que controla a Cisjordânia,relançou as conversações com Israel, com vistas a chegar a umacordo até o final do ano para a criação de um Estadopalestino. Mas o Hamas se opõe ao movimento pela paz e prometeboicotá-lo. O controle do movimento sobre a Faixa de Gaza vaicomplicar qualquer acordo possível. Esta semana, Abbas exortou o Hamas a ceder o controle daFaixa de Gaza e iniciar negociações de reconciliação com suafacção, o Fatah, mas horas mais tarde, em Gaza, ocorreramalguns dos piores enfrentamentos entre os dois lados em meses,deixando sete mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.