Ataque israelense provoca protestos na Europa e na Ásia

O ataque de Israel contra a um barco que transportava ajuda humanitária a palestinos na Faixa de Gaza provocou protestos em vários países do mundo. Na França, centenas de manifestantes entraram em choque com policiais perto da Embaixada de Israel em Paris. Em Istambul, pelo menos 10 mil pessoas protestavam contra a ação israelense. Houve manifestações também no Chipre, em Roma, em Sarajevo e em mais de 20 cidades gregas.

AE-AP, Agência Estado

31 Maio 2010 | 19h49

Os manifestantes franceses atiraram pedras na polícia quando se dirigiam à embaixada, situada em uma rua comercial de alto padrão perto dos Champs-Elysées e do palácio presidencial francês. A polícia respondeu com bombas de gás lacrimogêneo e gás de pimenta e isolou as vias próximas. Cerca de 1.200 pessoas participavam do protesto, segundo cálculos das autoridades locais.

Manifestantes presentes entoavam palavras de ordem como "Israel, assassino" e "somos todos palestinos". Jovens na linha de frente tentavam romper o cordão de isolamento da polícia. Alguns policiais usaram cassetetes durante a repressão. Um fotógrafo da agência de notícias Associated Press viu um policial arrastando uma mulher pelo chão enquanto ela gritava "deixe que eu vista meu véu".

Pessoas na multidão empunhavam bandeiras palestinas e de antigas colônias francesas no norte da África, uma região majoritariamente muçulmana. A França abriga as maiores populações de judeus e muçulmanos da Europa Ocidental.

Turquia e Grécia

Os manifestantes na maior cidade turca gritavam pedindo "vingança" contra Israel. Em Atenas, na Grécia, forças de segurança lançaram gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral contra cerca de 2.500 pessoas que se aglomeraram do lado de fora da embaixada israelense. Pelo menos nove ativistas a bordo dos barcos foram assassinados pelos militares israelenses. O ataque ocorreu em águas internacionais.

Mais conteúdo sobre:
ataque frota Israel protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.