Ataque maoísta mata 17 civis durante ato cultural na Índia

Cerca de 30 guerrilheiros se infiltraram no público que assistia ao evento cultural

EFE,

27 de outubro de 2007 | 06h36

Um ataque de guerrilheiros maoístas durante um ato cultural em uma localidade do Estado indiano de Jharkhand matou 17 civis, informou uma fonte policial. Cerca de 30 guerrilheiros se infiltraram no público que assistia ao evento cultural na localidade de Chilkhari, cerca de 300 quilômetros ao norte de Ranchi, a capital do Estado, e esperaram o final dos atos para lançar seu ataque. Além dos 17 mortos, quatro pessoas ficaram feridas em conseqüência dos disparos e das explosões de artefatos lançados pelos guerrilheiros, disse o superintendente da Polícia do distrito de Giridih, Arun Kumar Singh, às agências indianas. A Polícia lançou uma operação de busca dos rebeldes, acrescentou Singh, que informou que os guerrilheiros fugiram imediatamente para o vizinho Estado de Bihar. O ataque desta madrugada foi o que provocou mais baixas entre civis neste Estado, um dos vários da Índia no qual está ativa a guerrilha maoísta, conhecida como "naxalita". A guerrilha "naxalita" adotou este nome em homenagem a um movimento estudantil iniciado na década de 1960 na aldeia de "Naxalbari", e luta para criar um Estado comunista independente em uma ampla zona que abrange vários estados do centro, norte e leste da Índia. A luta da guerrilha maoísta deixou 405 mortos, entre eles 146 civis e 166 membros das forças de segurança, segundo dados do Centro Asiático para os Direitos Humanos.

Tudo o que sabemos sobre:
ATAQUEÍNDIACIVIMORTE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.