Ataque mata 17 em frente à embaixada indiana em Cabul

Pelo menos 17 pessoas morreram e quase 80 ficaram feridas hoje quando um militante suicida detonou um carro-bomba diante da Embaixada da Índia em Cabul, situada no movimentado centro da capital afegã, informaram autoridades locais. Dos 17 mortos, 15 eram civis, informou o Ministério de Interior. Os outros dois eram oficiais da polícia afegã.

AE-AP, Agencia Estado

08 de outubro de 2009 | 09h52

A milícia fundamentalista islâmica Taleban reivindicou a autoria do ataque, mas não explicou o motivo pelo qual investiu contra a embaixada indiana. O fato de a representação diplomática ter sido alvo provavelmente levantará questões sobre uma possível ligação com o Paquistão, arquirrival da Índia.

Em Nova Délhi, o secretário de Exterior indiano, Nirupama Rao, disse que o militante suicida conduziu o carro-bomba até perto de um dos muros da embaixada e detonou os explosivos. Nenhum cidadão indiano morreu, mas três soldados paramilitares posicionados em uma torre de vigilância foram feridos por estilhaços, disse ele. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, a Embaixada dos Estados Unidos em Cabul e a missão da Organização das Nações Unidas (ONU) no país denunciaram o ataque.

O atentado foi o mais mortífero perpetrado em Cabul desde 17 de setembro, quando um militante suicida provocou a morte de 16 pessoas, sendo dez civis afegãos e seis soldados italianos, no centro da capital do país. Depois de meses de relativa calma, Cabul voltou a ser alvo de ataques, e o retorno da violência coincidiu com as eleições presidenciais no país, realizadas em 20 de agosto. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoambaixada indiana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.