Ataque mata 5 americanos no Iraque

Atentado com caminhão-bomba foi o mais violento contra forças dos EUA no país desde o início do ano

AP, BAGDÁ, O Estadao de S.Paulo

11 de abril de 2009 | 00h00

Pelo menos cinco soldados americanos e três policiais iraquianos morreram ontem em um atentado suicida com um caminhão-bomba contra uma base conjunta do Exército dos EUA e da polícia iraquiana em Mossul, norte do Iraque. Foi o ataque mais violento contra tropas americanas no Iraque desde o início do ano.Autoridades acreditam que a ação tenha sido executada por grupos sunitas que pretendiam destruir um quartel da Polícia Nacional iraquiana. O atentado deve aumentar a pressão para que o governo iraquiano peça aos Estados Unidos que mantenham suas tropas em Mossul depois de 30 de junho, prazo estipulado para a retirada de todos os soldados de combate americanos do Iraque.Comandantes militares dos EUA já admitem a possibilidade de ter de enviar reforços a Mossul e à Província de Diyala, a nordeste de Bagdá, apesar da aproximação da data de retirada.Atheel al-Nujaifi, apontado como provável administrador iraquiano de Mossul após a saída das forças americanas, disse ontem que "não há razão para que os soldados dos EUA fiquem depois de junho". Segundo Nujaifi, "as forças iraquianas estão bem treinadas e equipadas para garantir a segurança da região".A opinião contrasta com a posição de outros líderes locais, como Hashim al-Hamadani, que afirma que "a situação em Mossul é grave". "Precisamos das tropas americanas mesmo depois do fim do prazo, em junho. Caso contrário, a violência vai se alastrar," disse.TESTEMUNHADas 31 mortes de militares americanos ocorridas no Iraque este ano, 11 foram registradas em Mossul, onde os esforços para eliminar focos da Al-Qaeda e de outros grupos militantes sunitas têm falhado nos últimos anos. Mais de 5 mil militares dos EUA e 36 mil membros das Forças Armadas iraquianas atuam na cidade e nos arredores. Além dos 7 mortos no ataque de ontem, pelo menos 62 pessoas ficaram feridas - incluindo 1 soldado americano e 27 civis -, segundo as autoridades locais.No momento da explosão de ontem, o policial iraquiano Abu Mohammed disse ter visto o caminhão aproximar-se do quartel da polícia com os explosivos parcialmente cobertos por uma carga de grãos. Segundo Mohammed, o caminhão-bomba vinha logo atrás de dois veículos militares americanos e avançou contra uma barreira de metal até se chocar contra uma barreira feita com sacos de areia. Policiais iraquianos ainda dispararam diversas vezes contra o motorista, mas não conseguiram impedir que ele detonasse os explosivos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.