Ataque mata doze na Nigéria e empresas retiram equipes

Doze pessoas foram mortas, incluindo quatro chefes comunitários, em um ataque contra um barco comercial em uma área remota da região produtora de petróleo do delta do Níger, disse a polícia nigeriana nesta terça-feira. Empresas de petróleo ocidentais retiraram suas equipes de três campos da região, que produz cerca de 60 mil barris por dia, mas representantes disseram que não podiam confirmar se as atividades foram suspensas. Fontes da comunidade Kula, onde o ataque aconteceu, disseram que as mortes foram causadas por uma disputa antiga entre facções locais pela distribuição do dinheiro fornecido pelas empresas que trabalham na área. O ataque aconteceu no domingo, quando homens armados abriram fogo contra um barco que levava 14 passageiros para Kula, na costa do Estado de Rivers. "Há apenas dois sobreviventes", disse uma porta-voz da polícia na capital do Estado de Rivers. Em retaliação na noite de segunda-feira, uma facção incendiou um barco da estação de petróleo Ekulama 2, da Shell, disse uma fonte militar. A estação é o maior dos três campos de petróleo da região. "Retiramos nossa equipe da plataforma, mas até a noite de ontem a produção continuava", disse uma fonte da Shell. A situação da segurança piorou no país em 2006 e há temores de mais violência antes da eleição programada para abril. A Nigéria é o oitavo maior exportador de petróleo do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.