Ataque mata seis e deixa dez feridos na Chechênia

Um ataque suicida na capital da república russa da Chechênia, Grozny, provocou a morte de pelo menos seis pessoas e deixou dez feridos. O atentado ocorreu próximo à entrada de uma sala de espetáculos da cidade, informaram as agências Interfax e Itar-Tass, citando as autoridades locais. Entre as vítimas estão policiais, que, de acordo com as informações iniciais, impediram o suicida de entrar no local, disse uma fonte das autoridades à agência russa Itar-Tass. De acordo com a Interfax, a bomba matou três policiais, um civil e o autor do ataque.

AE-AP, Agencia Estado

26 de julho de 2009 | 18h01

Segundo o Ministério do Interior, o suicida tentou entrar no local minutos antes do começo de um festival de música. O presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, afirmou que o ataque não vai impedir o processo de erradicação das milícias na província. "Os bandidos estão agonizando, não possuem rostos, moral, nada. Eles não são humanos", disse o presidente.

Apesar de a longa guerra civil na Chechênia ter chegado ao final, o Cáucaso vem sendo cada vez mais perturbado por ataques e sequestros ligados a insurgentes islâmicos, criminosos e rixas entre etnias. No último dia 15, a ativista de direitos humanos, Natalya Estemirova, foi encontrada morta com ferimentos a bala depois de ter sido sequestrada em seu apartamento em Grozny.

Críticos e grupos de direitos humanos acusam Kadyrov e sua força de segurança de espalhar o terror, com abusos, torturas e execuções de pessoas suspeitas de terem ligações com milícias. A Chechênia e as províncias vizinhas do norte da Rússia, na região do Cáucaso, estão cercadas pela violência que persiste depois de dois anos de guerra entre os rebeldes chechenos e as forças do governo.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaChechêniaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.