Ataque mostra força do Taleban, mesmo sem Bin Laden

O duplo ataque suicida que matou pelo menos 80 recrutas da polícia paramilitar hoje no Paquistão foi o mais violento atentado terrorista desde o assassinato de Osama bin Laden. A ação demonstra que os militantes do Taleban estão determinados a manter a luta e vingar a morte do líder da Al-Qaeda.

AE, Agência Estado

13 de maio de 2011 | 20h01

Autoridades norte-americanas e afegãs tinham esperanças que a morte de Bin Laden fosse usada pelo Taleban para romper seus laços com a Al-Qaeda, aliança que os Estados Unidos dizem que deve ser quebrada se os insurgentes desejarem a paz no Afeganistão. Mas funcionários afegãos e especialistas paquistaneses acreditam que um rompimento não deve ocorrer no curto prazo.

"O Taleban quer provar que a morte de Bin Laden não o afetou", disse Rahimullah Yusafzai, especialista da cidade paquistanesa de Peshawar, que entrevistou o recluso líder do grupo, o mulá Mohammed Omar. "Eu não acho que alguém está falando sobre paz neste momento", afirmou. "Todos querem marcar alguns pontos".

Ao assumir a responsabilidade pelos ataques de hoje, que também deixaram cerca de 120 feridos, o Taleban disse que estava vingando a morte de Bin Laden, ocorrida em 2 de maio. O grupo também citou a raiva contra o Exército paquistanês, que falhou em interromper o ataque unilateral norte-americano contra o refúgio de Bin Laden. "O Exército paquistanês falhou em proteger sua terra", declarou Ahsanullah Ahsan, porta-voz do grupo terrorista.

O Taleban paquistanês é um conjunto disperso de grupos insurgentes e alguns meios de comunicação continuam a duvidar da afirmação de que o ataque de hoje teve como objetivo vingar a morte de Bin Laden. "A violência aumentou porque é parte do processo de paz", disse Mohammad Masoom Stanekzai, importante conselheiro do presidente afegão Hamid Karzai que participa ativamente dos esforços de conciliação com o Taleban.

"Quando se chega ao ponto no qual todos querem se posicionar para conseguir o benefício do diálogo e da discussão, então você naturalmente espera que haverá esforços para fortalecer as posições", acrescentou o conselheiro.

Ataque

Um avião não tripulado dos Estados Unidos disparou dois mísseis em um veículo no distrito do Waziristão do Norte hoje, matando três pessoas. A informação foi divulgada por funcionários locais do setor de segurança. Foi o quarto ataque do tipo na região tribal do Paquistão, perto da fronteira afegã, desde que tropas especiais norte-americanas mataram Bin Laden. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.