Ataque no Iêmen mata clérigo ligado à Al-Qaeda

Um funcionário do governo dos Estados Unidos disse que o ataque aéreo que matou o clérigo radical Anwar al-Awlaki, nascido em território norte-americano na manhã desta sexta-feira no Iêmen, também vitimou Samir Khan, que também nasceu nos Estados Unidos.

AE, Agência Estado

30 Setembro 2011 | 12h55

O ataque, que teve como alvo um comboio, foi realizado pela CIA e pelos Comandos Conjuntos de Operações Especiais. Khan editava o "Inspire Magazine" (Revista Inspire), que atraiu muitos leitores na internet.

A revista teve sete edições com artigos sobre como fabricar bombas rústicas e como disparar rifles de assalto AK-47. Funcionários da inteligência norte-americana disseram que Khan - que era da Carolina do Norte - não foi responsável direto por ataques contra norte-americanos. Com a morte de Khan e al-Awlaki, a Al-Qaeda sofreu um duplo golpe que vai afetar sua capacidade de recrutar seguidores.

Al-Awlaki teve "significativa participação operacional" no planejamento de ataques contra os Estados Unidos e foi inspiração para outras ações, disseram funcionários norte-americanos nesta sexta-feira.

O clérigo ficou sob observação durante três semanas, enquanto os agentes aguardavam a melhor oportunidade para atacar. Após a ação, o funcionário norte-americano divulgou novos detalhes sobre o envolvimento de al-Awlaki em operações contra os Estados Unidos, dentre elas a tentativa de explodir um avião norte-americano em 25 de dezembro de 2009.

Segundo a fonte, al-Awlaki deu as diretrizes para que o homem acusado de explodir a bomba numa aeronave com destino a Detroit sobre o espaço aéreo norte-americano de forma a fazer o maior número de vítimas.

O funcionário afirmou que al-Awlaki teve participação direta na supervisão e direcionamento da fracassada tentativa de derrubar um cargueiro norte-americano com a detonação de dois explosivos escondidos dentro de dois pacotes enviados pelo correio para os Estados Unidos. O governo norte-americano também acredita que al-Awlaki tentou usar venenos como cianeto e ricina para atacar ocidentais. Todas as fontes falaram em condição de anonimato.

Al-Awlaki foi morto pela mesma unidade militar que matou Osama bin Laden. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.