Ataque no norte do Iraque deixa 30 mortos

A explosão de um carro-bomba seguida pelo ataque de homens que lançavam granadas contra uma sede da polícia, no norte do Iraque, deixou 30 mortos neste domingo. O veículo que foi detonado no centro de Kirkuk estava pintado de forma a parecer um carro da polícia e os homens que tentaram tomar o complexo estavam vestidos como policiais, afirmaram testemunhas.

Agência Estado

03 de fevereiro de 2013 | 09h21

O ataque interrompeu a relativa calma registrada nos últimos dias no Iraque, que lida com uma crise política envolvendo o primeiro-ministro Nuri al-Maliki e seus antigos parceiros de governo, além de semanas de protestos que pedem a renúncia do premiê, a menos de três meses das eleições provinciais.

Nenhuma organização havia assumido a responsabilidade pelo ataque, mas militantes sunitas, dentre eles os integrantes de grupos ligados à Al-Qaeda, costumam ter como alvo forças de segurança e interesses do governo, com o objetivo de desestabilizar o país.

O carro-bomba explodiu durante o horário de pico da manhã e foi rapidamente seguido pela ação de três homens armados, vestidos com uniformes da polícia, que atiravam granadas e vestiam coletes com explosivos enquanto passaram pelo principal portão da sede da polícia, na direção do prédio principal do complexo.

Eles lançaram várias granadas, mas foram mortos antes que chegar ao prédio principal, disseram testemunhas. "Eu vi o veículo parar no posto de verificação da entrada principal e a polícia iniciou a checagem", disse Kosrat Hassan Karim, que estava nas proximidades quando o ataque aconteceu. "De repente, uma grande explosão aconteceu", disse ele. "Vi muitas pessoas morrerem dentro de seus carros."

O general de brigada Natah Mohammed Sabr, responsável pelos serviços de emergência de Kirkuk, disse que 30 pessoas morreram e 70 ficaram feridas.

O ataque também provocou grandes danos aos prédios e lojas das proximidades. Segundo Mohammed Aziz, que trabalha num escritório instalado num prédio próximo, pelo menos dois de seus colegas, que estavam no interior do edifício, morreram em decorrência da explosão.

Também neste domingo, em outros três ataques separados no norte de Bagdá, em Tarmiyah e em Baquba, dois milicianos que combatiam a Al-Qaeda foram mortos e três pessoas ficaram feridas, informaram as autoridades. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueataquemortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.