Ataque no Quênia deixa pelo menos 27 mortos

Um ataque de uma milícia matou pelo menos 27 pessoas na cidade de Mpeketoni, no Quênia, afirmou o chefe de polícia David Kimaiyo. As autoridades culparam o movimento radical islâmico Al-Shababm, ligado à Al-Qaeda, pela operação.

AE, Agência Estado

16 de junho de 2014 | 02h21

A cidade está localizada a cerca de 20 quilômetros a sudoeste do centro turístico de Lamu. Em Mpeketoni, o turismo é basicamente local.

Recentemente, o Quênia tem enfrentado uma onda de ataques com armas e explosivos, levando os EUA, Reino Unido, França, Austrália e Canadá a elevarem os alertas de ameaça terrorista para o país.

O Ministério do Interior informou que por volta das 20h, do horário local, duas minivans entraram na cidade quando os moradores assistiam aos jogos da Copa do Mundo na televisão. Os militantes então desceram dos veículos e começaram a atirar nas ruas. Eles assaltaram uma delegacia de polícia, incendiaram dois hotéis e atacaram um banco. O Centro Nacional de Operações de Desastres (CNOD) afirmou que aviões militares de monitoramento foram enviados logo depois.

O Al-Shabab tem prometido continuar com operações terroristas para vingar a presença militar do Quênia na Somália. Ao menos 67 pessoas foram mortas em setembro quando quatro atiradores atacaram um shopping na capital do país, Nairóbi. O Quênia enviou as tropas à Somália em outubro de 2011. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Quêniaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.